terça-feira, setembro 28, 2010

A LEONOR prá semana JÁ NÃO VEM

.
.
A LEONOR, NOSSA COMPANHEIRA DE TANTOS ANOS,
PARA A SEMANA JÁ NÃO PICA MAIS O PONTO.

A Leonor é uma figura de referência do actual REV ,e do antigo RC.
É mais uma companheira de uma geração que nos ultimos dez anos tem vindo a transferir-se para a intensa vida dos que em cada dia fazem aquilo que lhe dá na bôlha, sem terem de meter dispensas de banco, programar uns míseros vinte e tal dias de férias ou pedir ao chefe para ir lá fóra.

As esplanadas , os cineminhas, as exposições, as milhares de páginas de livros ainda não lidos, as caminhadas à beira rio, os corredores dos centros comercias, mas também as idas ao parque com a neta, estão doravante à espera da Leonor.
Ah, e também as Cimeiras mensais com a velhada que já está lá fóra.


A LEONOR AQUI COM OS ANTIGOS E FUTUROS COLEGAS, RECEBENDO AS INSTRUÇÕES PARA OS PRIMEIROS DEZ DIAS DE PELUDA

A TRANCA saúda a Leonor, e espera que a nossa querida companheira curta muita a vida nova que a espera.

Vai perder a convivência diária com colegas de muito tempo, vai ganhar espaço e tempo para dedicar às coisas que gosta e que tem deixado de fazer por causa dos pianáres.

E vai continuar a acederà TRANCA todos os dias...

actualidade

.

preliminares

.
Chega o Conde à sua mansão.
O mordomo, atentamente, abre-lhe a porta, baixa a cabeça e, com
reverência, saúda-o:
- Entra, filho de uma grande puta, de onde vem o senhor Conde com essa
cara de paneleiro?
Ao que o Conde, sorridente, lhe responde:
- De comprar um aparelho auditivo.
...

a 28 de Setembro nasceu CONFÚCIO

.
Confúcio


Confúcio (em chinês: 孔子, pinyin: Kǒngzǐ; Tsou, 551 a.C. - Qufu, 479 a.C.) é o nome latino do pensador chinês Kung-Fu-Tse (chinês: 孔夫子; pinyin: Kǒng Fūzǐ, literalmente "Mestre Kong"). Foi a figura histórica mais conhecida na China como mestre, filósofo e teórico político. Sua doutrina, o confucionismo, teve forte influência não apenas sobre a China mas também sobre toda a Ásia oriental.

Conhece-se muito pouco da sua vida. Parece que os seus antepassados foram de linhagem nobre, mas o filósofo e moralista viveu pobre, e desde a infância teve de ser mestre de si mesmo. Na sua época, a China estava praticamente dividida em reinos feudais cujos senhores dependiam muito pouco do rei.

Sua filosofia enfatizava a moralidade pessoal e governamental, a exatidão nas relações sociais, a justiça e a sinceridade. Estes valores ganharam destaque na China sobre outras doutrinas, como o Legalismo (法家) ou o Taoísmo (道家) durante a Dinastia Han[1] (206 a.C. - 220 d.C.). O confucionismo foi introduzido na Europa pelo jesuíta italiano Matteo Ricci, que foi o primeiro a latinizar o nome como "Confúcio".

Nascimento e juventude
Confúcio, também conhecido como K'ung Ch'iu, K'ung Chung-ni ou Confucius, nasceu em meados do século VI (551 a.C.), em Tsou, uma pequena cidade no estado de Lu, hoje Shantung. Segundo algumas fontes antigas, teria nascido em 552 a.C. (ou seja, no vigésimo primeiro ano do duque Hsiang).[3] Esse estado é denominado de "terra santa" pelos chineses. Confúcio estava longe de se originar de uma família abastada, embora seja dito que ele tinha ascendência aristocrática. Seu pai, Shu-Liang He, antes magistrado e guerreiro de certa fama, tinha setenta anos quando se casou com a mãe de Confúcio, uma jovem de quinze anos chamada Yen Cheng Tsai, que diziam ser descendente de Po Chi'in, o filho mais velho do Duque de Chou, cujo sobrenome era Chi.

Dos onze filhos, Confúcio era o mais novo. Seu pai morreu quando ele tinha três anos de idade, o que o obrigou a trabalhar desde muito jovem para ajudar no sustento da família. Aos quinze anos, resolveu dedicar suas energias em busca do aprendizado. Em vários estágios de sua vida empregou suas habilidades como pastor, vaqueiro, funcionário e guarda-livros. Aos dezenove anos se casou com uma jovem chamada Chi-Kuan. Apesar de se divorciar alguns anos depois, Confúcio teve um filho, K'ung Li.


Viagens
Confúcio viajou por diversos destes reinos, esteve em íntimo contato com o povo e pregou a necessidade de uma mudança total do sistema de governo por outro que se destinasse a assegurar o bem-estar dos súditos, pondo em prática processos tão simples como a diminuição de contribuições e o abrandamento das penalidades. Embora tentasse ocupar um alto cargo administrativo que lhe permitisse desenvolver as suas ideias na prática, nunca o conseguiu, pois tais ideias eram consideradas muito perigosas pelos governantes. Aquilo que ele não pôde fazer pessoalmente acabaram fazendo-o alguns dos seus discípulos, que, graças à boa preparação por ele ministrada, se guindaram, dia após dia, aos cargos mais elevados. Já idoso, retirou-se para a sua terra natal, onde morreu com 72 anos.

Confúcio é biograficamente, segundo o historiador chinês Sima Qian (século II a.C.), uma representação típica do herói chinês. Ele era alto, forte, enxergava longe, tinha uma barriga cheia de Chi, usava longa barba, símbolo de sabedoria, mas se vestia bem e era simples. Era também de um comportamento exemplar, demonstrando sua doutrina nos seus atos. Pescava com anzol, dando opção aos peixes, e caçava com um arco pequeno, para que os animais pudessem fugir. Comia sem falar, era direto, franco, acreditava ser um representante do céu.

Ideias
A sua ideologia de organização da sociedade procurava também recuperar os valores antigos, perdidos pelos homens de sua época. No entanto, em sua busca pelo Tao, ele usava uma abordagem diferente da noção de desprendimento proposta pelos taoístas. A sua teoria baseava-se num critério mais realístico, onde a prática do comportamento ritual daria uma possibilidade real aos praticantes de sua doutrina de viverem em harmonia.

Confúcio não pregava a aceitação plena de um papel definido para os elementos da sociedade, mas sim que cada um cumprisse com seu dever de forma correcta. Já o condicionamento dos hábitos serviria para temperar os espíritos e evitar os excessos. Logo, a sua doutrina apregoava a criação de uma sociedade capaz, culturalmente instruída e disposta ao bem estar comum.

A EQUIPA DE FUTEBOL DA TAP SERVIÇOS - 2º.lugar no

.
A EQUIPA DE FUTEBOL DA
TAP-SERVIÇOS, DISPUTOU
NUM TORNEIO DENOMINADO
MINI LIGA EMPRESARIAL
TENDO OBTIDO O 2º.LUGAR



fOI NO ULTIMO SÁBADO , dia 25 de Setembro que se realizou a II Mini Liga Empresarial na qual a equipa TAP Serviços participou pela primeira vez.

Participaram:

TAP-CARGA
HOT CLUBE
BBVA
LIGA EMPRESARIAL TEam
TAP SERVIÇOS

A vitória sorriu à equipa da TAP-CARGA, tendo a formasçãso da TAP SERVIÇOS, nos 4 jogos realizados coinseguido 2 vitórias ,1 empate e uma derrota.

O guarda redes da Diogo Sousa ganhou, com todo o mérito o troféu de Melhor Guarda-Redes do Torneio.


Outros detalhes do torneio podes encontrar no blog do grupo:

www.tps-team.blogspot.com

segunda-feira, setembro 27, 2010

OS GATOS - O FILÓSOFO MATARRUANO

.

GENTE NOSSA

.

"GOSTO DE PALAVRÕES" com texto de MIGUEL ESTEVES CARDOSO

.


Os palavrões valem o que valem, e no contexto em que são ditos.

Durante muito tempo, e devido à misogenia obscena do chefe Patricio, o Arrebenta Pianáres, o RC foi uma secção eminentemente masculina.
"MENINAS NÃO ENTRAM" dizia ele para o Curado.
"Elas estão sempre a meter o artigo" a faltar, e a pensar na ementa para o dia seguinte, lá em casa"

E assim se passaram quase 15 anos com 6 meninas, e 500 mil homões.

Até que numa ocasião, recebemos a noticia, que no dia seguinte iam entrar 2 meninas, ambas vindas da TAP de Londres.
Eram a Adelaide e a Trudy.

Alarme entre os machões.
Tínhamos que começar a falar sem os palavrões a que nos tinhamos habituado numa secção de homens, com palavriado de caserna.

E chegou o dia.

As meninas entraram para o chamado QCS (antiga secção de grupos)

Passada que foi meia hora,da apresentação das garinas, o Calado Lopes, veio cá fóra a sossegar o pessoal.
-"Eh malta, não vai haver problema, podemos falar à vontade ,até já aprendi duas novas"....

domingo, setembro 26, 2010

FESTIVAL DE CINEMA DE SAN SEBASTIAN 2010

.
ATENTA A TODOS OS FESTIVAIS DE
CINEMA QUE SE REALIZAM POR ESSE
MUNDO FÓRA ,A TRANCA MOSTRA
QUEM FOI PREMIDO NO FESTIVAL DE
CINEMA DE SAN SEBASTIAN 2010

Premiados do 58º Festival Internacional de Cinema de San Sebastián

"Neds", do britânico Peter Mullan, ganhou a Concha de Ouro de melhor filme, e o chileno Raúl Ruiz, a Concra de Prata de melhor realizador da 58ª edição do Festival de Cinema de San Sebastián (norte), que se encerrou ontem, sábado.

Estes são os principais prêmios do Festival :

- Concha de Ouro de Melhor Filme: "Neds" , de Peter Mullan (Reino Unido)

- Concha de Prata de Melhor Realizador : Raúl Ruiz por "Misterios de Lisboa" (Portugal)

- Concha de Prata de Melhor Atriz: Nora Navas por "Pa negre" (Espanha)

- Concha de Prata de Melhor Ator: Connor McCarron por "Neds" (Reino Unido)

- Prêmio Especial do Júri: "Elisa K" (Espanha)

- Prêmio do Júri de Melhor Roteiro: Bent Hammer por "Home for Christmas" (Noruega-Suécia-Alemanha)

- Prêmio do Júri de Melhor Fotografia: Jimmy Gimferrer por "Aita" (Espanha)

- Prêmio honorário Donostia: Julia Roberts (EUA)

- Prêmio Horizontes: "Abel", de Diego Luna (México)

- Prêmio Cinema em Construção: "Entre la noche y el día", de Bernardo Arellano (México),

- Prêmio da Juventude: "Abel", de Diego Luna (México)

- Prêmio do Público: "Barney's Version", de Richard Lewis (Canadá-Itália)

- Prêmio La otra mirada, da TVE: "Cerro Bayo", de Victoria Galardi (Argentina



"Mistérios de Lisboa" premiado em San Sebastian



O filme "Mistérios de Lisboa", realizado pelo chileno Raul Ruiz, venceu o prémio para melhor realizador no Festival de Cinema de San Sebastian , Espanha. Rodado em Portugal e com actores portugueses e estrangeiros , "mistérios de Lisboa " foi também aplaudido pela imprensa espanhola e conquistou o prémio «Concha de Prata». Baseado num romance de Camilo Castelo Branco , a longa-metragem é um fresco da sociedade portuguesa de finais do século XIX. Depois da estreia nos cinemas em Outubro

sábado, setembro 25, 2010

É JA NA PRÓXIMA QUINTA FEIRA, 30



O nosso encontro deste mês vai ter lugar no Restaurante D.João, em Benfica, na próxima quinta feira dia 30.

Já confirmaste com a DiNA?
Então confirma.

sexta-feira, setembro 24, 2010

AS VERDADEIRAS CAUSAS DA AVENTURA DE ALCÁCER KIBIR

.
reedição

AS VERDADEIRAS CAUSAS DA AVENTURA DE ALCÁCER KIBIR

..
QUE TERÁ LEVADO D.SEBASTIÃO
A TERRAS DE ALCÁCER KIBIR?
A PROCURA DA ROTA DO OURO?
AS ESPECIARIAS DO ORIENTE?

Uma equipa de investigadores históricos da TRANCA tem vindo ao longo dos tempos a analisar a História de Portugal, mas não só, e a dela retirar as "gorduras" com que os diversos poderes têm vindo a adulterar a verdade dos factos e a deixar que os manuais que estudamos nos conte a História que eles querem nos impingir.



Dom Sebastião, tal como seu pai D.João III, mamou até aos 8 anos de idade!!!
Amaneirado, com tiques de loucura psicadélica persistente, e um comportamento desviante insuportável, esperou 11 anos (de 1517 a 1528) após o passamento de seu régio pai, pela maioridade e a assunção do Poder Temporal (na época era aos 14 anos) para poder ir ao cinema vêr filmes para adultos.
A sua adolescência foi muito agitada. Muito sarampo, muita varicela, muita papeira, muita tosse convulsa, bexigas doidas, prisões de ventre, que só à custa de , muitas toneladas de clisteres e muitas nalgadas no róseo rabiosque (que acabariam por ser causa de lamentáveis efeitos secundários que se revelariam mais tarde..) permitiram a sua sobrevivência.

Educado, primeiro pela irmã de Carlos V, sua avó D.Catarina de Austria, ,(a tal que teve um caso com o Papa Clemente VII), de quem herdou a burrice e a tara por rapazinhos escuros e bexigosos, e mais tarde por seu tio-avô, o Cardeal D.Henique, Arcebispo de Lisboa, um passivo-anagógico militante e compulsivo .
É conhecida a culpa que o misógeno Cardeal terá tido nas opções sexuais do "Rei-Criança".

A primeira Lei que o Cardeal promulgou, no exercício da sua Regência, foi:
"..Que El-Rey nosso Senhor, tanto que fôr de 9 annos (com 2 enes) se tire d.entre as mulheres, e se entregue aos homens"
Quando atingiu os 14 anos, adiou a Coroação para o dia seguinte, e o seu primeiro acto como maior de idade, foi mesmo curtir uma matiné de sessão dupla, no velho Olympia da Rua dos Condes, a vêr a "A garnta funda" e "A gaiola das Malucas".
No discurso de Coroação, quando tomou conta do Governo , para o qual "pouco se informou",logo foi avisando:
-"Se não me fizerem as vontades lixo isto tudo, não terei filhos, e a Coroa vai pró galheiro, ou antes, vai prós Filipes, e olhem que o meu primo Filipe é um pedaço de rapagão"(risos da pionagem e da nobreza de toga)
Da infancia ficaram marcas indeléveis que se repercutiriam no futuro comportamento do jovem rei.
Os clisteres, a prisão de ventre, a aspereza das serapilheiras utilizadas para limpar o rabinho após a "defecação-real", condicionariam a formação da sua personaliadde, criando obsessões, que o levarão mais tarde a avançar para o norte de Africa, e para a desgraça da Nação.
Não, as verdadeiras motivações para demandar o Norte de Africa, não foram as apontadas pelos cronistas e historiadores.

De facto o que o levou a demandar a terra dos berberes, ao contrário do que dizem : Fernão Lopes, Oliveira Marques, Almeida Garrett ou Vitorino Magalhães Godinho, que defendem terem sido a procura das especiarias, ou mesmo a rota do ouro, foi a procura do "segredo fa formula do papel higiénico humedecido" e a descoberta da rota dos homem bi-pilares (de pila, entenda-se).
As dores atroses que sofrera em criança, com a asperesa da sarapilheira nas suas róseas nádegas, estiveram sempre presentes, mesmo já adulto, nos seus pesadelos, e nas suas insónias frequentes. Nessas horas jurara, que quando atingisse a maioridade, haveria de descobrir a fórmula do papel higiénico humedecido.
Aos reais ouvidos de El-Rey , chegaram de Marrakesh, novas sob a forma de boato, de que , num lugar estranhamente denominado de Alcácer Kibir , um delegado sindical de uma fábrica de camêlos, havia descoberto uma planta , que triturada e humedecida com saliva de dromedário no cio, dava origem a uma pasta de papiro macia, aveludade e cremosa.
Encaixava no seu sonho, e daí a pensar apossar-se da fórmula e abrir uma fábrica de papel higiénico humedecido com mão de obra berbére, foi um traque.
A outra causa do infeliz "processo de Alcácer-Kibir", nasceu também do real conhecimento de outro zumzum, escutado por um embarcadiço copta, que El-Rey aboletava em Ceuta, com o estauto de "teúdo e manteúdo". Ele contou ao seu real benfeitor que havia visionado uma reportagem na tele-equivalente da época do actual telejornal da TVI, onde uma tal Carlota Serpa Pinto, emigrante sueva no Atlas, teria revelado ter-se deitado duas vezes com um rapagão azul, duma tribo berbére daquela côr, que tinha 2 pilas, e, ainda no dizer do tal embarcadiço, tal bi-artefacto , era comum a todos os homens da tal comunidade .
Foram pois estas as 2 razões da abalada do jovem rei para Africa, sendo falsa a história, que cronistas e historiadores nos têm impingido.

"D.Sebastião já chegou
E traz muito regimento,
Acabando com o civil
E fazendo o casamento!
Visita nos vem fazer
Nosso rei D.Sebastião
Coitado daquele pobre
que estiver na lei do cão
!"

A TRANCA-ON-LINE, está agora em condições de revelar, que também no seu desfecho, esta história de Alcácer Kibir foi mal contada.
De facto, D.Sebastião não morreu na batalha em 4 de Agosto de 1578, pois aproveitou o nevoeiro para bazar e assumir o seu sonho. Nevoeiro, aliás, sem oruigem natural, pois foi o seu staff-técnico especializado em "efeitos especiais", que provocou a invasão do campo de batalha por um espesso sucedâneo de espuma sintética, que lhe permitiu a fuga
Acompanhado de seu fiel embarcadiço copta, que sabia com exactidão a geografia da tribo dos bipilares, para lá fugiu, e se reestruturou, construiu a sua sonhada fábrica de papel higiénico humedecido, integrando-se, e de que maneira, no dia a dia da Comunidade dos homens de duas pilas.
A tribo , que era uma das últimas erectocracias conhecidas, onde o Poder era exercido por aquele de seus membros mais abonados , que conseguisse permanecer mais tempo "em glória" em ambas as pilas, mesmo na presença das sogras, passou à História como "ERECTOCRACIA DE TASSILI"

preliminares

.
Maria farta da apatia sexual do marido, compra uma lingerie preta!
Na cama, Manel pergunta:
- De calcinha preta?
Maria responde:
- Passaralho morto, passarinha de luto...

actualidade

.

preliminaires

.
2 Bêbedos resolvem dormir num beliche.
O que ficou por cima, antes de adormecer, resolve rezar:

Com Deus me deito,
Com Deus me levanto,
E mais a Virgem Maria
E o Espírito Santo.

De repente, cai da cama abaixo. O amigo vira-se e diz:
- Estás a ver o que dá dormir com muita gente?

quinta-feira, setembro 23, 2010

a 23 de setembro ,nasceu, JOHN COLTRANE

.
John Coltrane


John William Coltrane (kōl'trān) - (Hamlet, Carolina do Norte, 23 de setembro de 1926 — Long Island, Nova Iorque, 17 de julho de 1967) foi um saxofonista e compositor de jazz norte-americano, habitualmente considerado pela crítica especializada como o maior sax tenor do jazz e um dos maiores jazzistas e compositores deste gênero de todos os tempos. Sua influência no mundo da música ultrapassa os limites do jazz, indo desde o rock até a música erudita.

Atuou principalmente durante as décadas de 1950 e 1960. Embora tocasse antes de 1955, seus principais anos foram entre 1955 e 1967, durante os quais reformulou o jazz e influenciou gerações de outros músicos. As gravações de Coltrane foram prolíficas: ele lançou cerca de 50 gravações como líder nestes doze anos, e apareceu em outras tantas lideradas por outro músicos. Através de sua carreira, a música de Coltrane foi tomando progressivamente uma dimensão espiritual que iria consagrar seu legado musical.

Junto com os saxofonistas tenores Coleman Hawkins, Lester Young e Sonny Rollins, Coltrane mudou as perspectivas de seu instrumento. Coltrane recebeu uma citação especial do Prêmio Pulitzer em 2007,[1] por sua "perita improvisação, musicalismo supremo e um dos ícones centrais na história do jazz."

LEONA



Leona it's a very special lady coming from the Robin Wood's land.
She have in its ADN, blood of "Silver Lion", favourite dog and best companion of Robin, and Little John..
Leona lives now in Lisbon, and acesses the TRANCA every day.

gente nossa - o CARLOS CORREIA

DOCLISBOA 2010

.


A TRANCA tem estado desde o primeiro DOCLISBOA, presente e curtir o dia a dia do Festival.

Este ano vai lá estar e convoca todos para passarem bons momentos no frissom do evento

COMO VAI SER ESTE ANO

Secções do Festival

Competição Internacional
Selecção de alguns dos melhores documentários de todo o mundo, produzidos na última temporada (2009-10).
Alguns multi-premiados e aclamados pela crítica, outros totalmente inéditos.

A competição internacional é subdividida em três categorias:
- Longas Metragens, com duração superior a 60 minutos
- Médias Metragens, com duração entre 30 e 60 minutos
- Curtas Metragens, com duração inferior a 30 minutos


Investigações
A secção competitiva investigações reúne filmes que procuram dar a conhecer situações críticas do presente e do passado. Por revelarem algo de novo, por se posicionarem perante a realidade, estes filmes podem interferir sobre a própria realidade ou enriquecer a nossa visão da história.


Competição Portuguesa
Selecção competitiva que apresenta alguns dos melhores documentários de produção e/ou realização portuguesa, concluídos no último ano. A maior parte das obras são estreias mundiais.


Retrospectivas

Retrospectiva Joris Ivens
O doclisboa presta este ano homenagem a uma figura tutelar, referência máxima e fundadora do cinema documental: Joris Ivens, o holandês voador (1898-1989). A monumental obra de Ivens, rodada nos 5 continentes, foca as principais transformações históricas, sociais e ideológicas do mundo ao longo do século XX e permite traçar um retrato fascinante de um universo em rápida transformação. Viajante ímpar, Joris Ivens é também um exemplo do cruzamento entre a poesia da imagem (Chuva, A Ponte, La Seine a Rencontré Paris) e a participação política (Terra de Espanha, Paralelo 17, Comment Yukong Déplaça les Montagnes). A sua última companheira e co-realizadora de mais de uma dezena de filmes, Marceline Loridan-Ivens, sobrevivente dos campos de extermínio nazis, estará em Lisboa para uma Masterclass onde discutirá o seu próprio percurso e o de Joris Ivens, através da história do cinema e da participação política através do cinema.


Retrospectiva Marcel Ophüls
Nascido a 1 de Novembro de 1927 em Frankfurt, Marcel Ophüls iniciou-se como assistente de realização do seu pai, o grande Max Ophüls. Abordou a ficção mas foi como imenso documentarista que se notabilizou – não deixando aliás de reclamar a parte de ficção nos seus filmes.
Ophüls é uma testemunha privilegiada da história do século XX e, pelos seus filmes, um activo participante – é ele que conduz a “acção”, questionando e suscitando questões.
Foi Le chagrin et la Pitié de 1969 que lhe trouxe a notoriedade. A “resistência” generalizada dos franceses durante a guerra era posta em causa, demonstrando como o colaboracionismo foi também uma realidade. E foi um choque.
Cada filme de Ophüls é um trabalho imenso de preseverança: horas e horas de material filmado, longa montagem por vezes de anos, dimensões inabituais, de três e quatro horas.

+
Ophüls filma a história em directo, como em Novembertag, feito aquando da queda do muro de Berlim, ou Veillée d’armes, filmado sobretudo no célebre Hotel Holliday Inn de Sarajevo durante o cerco. Mas filmou também com persistência a memória do nazismo, desde o seu “filme inaugural”, Munich ou la paix pour cent ans, feito ainda para a televisão, depois em Le Chagrin et La Pitié e enfim em Hôtel Terminus sobre o julgamento do “carniceiro de Lyon”, Klaus Barbie.Contudo pode dizer-se que a súmula do seu método e preocupações é o magistral Veillée d’armes, que além de testemunhar propriamente o cerco de Sarajevo é uma questionação do jornalismo de guerra e do modo como as testemunhas-jornalistas moldam a percepção pública – numa das suas derivações é a celebérrima imagem de Robert Capa da morte de um miliciano na Guerra Civil de Espanha que é discutida.
Marcel Ophüls é um cineasta imenso que importa dar a conhecer numa visão de conjunto.


Retrospectiva Jørgen Leth

Jørgen Leth em 1436 toques
Com praticamente um filme realizado para cada um dos 45 anos dedicados ao cinema, o dinamarquês Jørgen Leth é um dos mais importantes documentaristas experimentais de todos os tempos. Suas grandes fontes de inspiração não se encontram, contudo, no universo do documentário.
As principais escolas que o precederam, a do documentário didático à moda John Grierson e a do espontaneísmo do Cinema Direto, serviram-lhe essencialmente como contramodelos. A cabeça de Jørgen foi feita sobretudo pelo caldeirão artístico da cultura underground dos anos 1950 e 60, combinando free jazz e cinemas novos, John Cage e Andy Warhol, Living Theater e Robert Frank.
A filmografia de Leth desenvolve-se sobretudo a partir de dois eixos formais, que se fundem num terceiro, híbrido, em sua produção de maturidade. Primeiro, há os filmes que poderiam ser chamados de documentários conceituais (The Perfect Human; Good and Evil). O segundo grupo, que abre passagem a partir de meados dos anos 1970, é o de documentários testemunhais, que procuram recriar em sons e imagens o fluxo de suas experiências (Notebook from China; A Sunday in Hell; Aarhus). Aos poucos, aqui e acolá, o cinema de Jørgen passou a embaralhar estes dois discursos fílmicos, combinando-os numa mesma obra (Notes on Love; The Five Obstructions –codirigido por Lars von Trier).
É um pouco deste vasto cinema que o DocLisboa apresentará pela primeira vez ao público português em outubro próximo.

Programações temáticas

A Cidade e o Campo

O espaço social do campo, da ruralidade e do trabalho agrícola e o da cidade e do urbanismo foram, desde muito cedo, temas privilegiados do cinema. A transformação progressiva do espaço rural e a formação da cidade contemporânea foram quase sempre no cinema duas ecologias opostas, matérias também eminentemente cinematográficas cuja percepção pública foi muitas vezes moldada pelo próprio cinema. O ciclo não esgota a riqueza desse corpo na história do cinema, mas procura livremente filmes em que a questão principal é a da formação de um olhar sobre esses dois espaços, privilegiando exemplos em que os dois existem ao mesmo tempo, em que se filma o seu confronto, em que um surge por vezes através das marcas ausentes do outro e em que se filma a transformação quase sempre irreversível de um espaço. Propõem-se diversas formas de ver o campo (registar a paisagem, o trabalho, os costumes aquilo que permanece) e a cidade (a sua constante transformação, o seu tecido social, aqueles que a habitam). São filmes sobre a ideia do campo, a utopia urbana, mas igualmente sobre o abandono, sobre a preservação dos gestos do trabalho, sobre a resistência à expansão urbana e industrial, as lutas camponesas, sobre os ritmos da cidade e a expansão metropolitana.


Homenagem ao Documentário Suíço

O doclisboa presta este ano homenagem ao documentário suíço, que mantém uma tradição de grandes obras filmadas em 16mm e em 35mm. A Suiça é um país onde o saudável apoio do estado às artes permitiu a criação de um verdadeiro cinema documental, com estreias regulares em salas de cinema. Da programação destaca-se desde já o nome de Richard Dindo. Com uma carreira de mais de 30 anos, o realizador suíço realizou cerca de 20 filmes quase todos documentários (tem uma única ficção) e biográficos: pela sua cãmara passaram Che Guevara, Jean Genet ou Arthur Rimbaud. Richard Dindo tem também questionado o seu país e o seu posicionamento social e político em diversas situações e momentos da história. Outro tema recorrente na cinematografia de Dindo é o confronto entre movimentos de jovens idealistas com os interesses políticos instalados, como em Dani, Michi, Renato & Max uma investigação sobre o papel da brutalidade policial na morte de quatro jovens
Os rebeldes e os poetas, as vítimas e os visionários renascem através dos filmes de Richard Dindo e ficam na memória dos espectadores, como relatos factuais e longe de quaisquer dramatismos.

Riscos
Esta secção paralela do festival tem por objectivo revelar obras ousadas, inovadoras, que se situam na fronteira entre a ficção e o documentário.

Heart beat
Secção paralela, que apresenta documentários onde a música é um elemento fundamental. Este ano teremos um Heart Beat «vintage», onde se redescobrem ou apresentam pela primeira vez em sala obras primas esquecidas.

quarta-feira, setembro 22, 2010

RUI CARDOSO MARTINS venceu o GRANDE PRÉMIO DO ROMANCE E NOVELA da ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE ESCRITORES

.
RUI CARDOSO MARTINS VENCEU COM A OBRA
"DEIXEM PASSAR O HOMEMINVISIVEL" O
GRANDE PRÉMIO DO ROMANCE E NOVELA DA
ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE AUTORES



"Deixem passar o homem invisível" debruça-se sobre o percurso de um advogado, cego desde os oito anos, que, durante uma enxurrada de dimensões bíblicas em Lisboa, acaba por cair numa caixa de esgoto aberta, nas imediações da igreja de São Sebastião da Pedreira. Idêntico destino tem um escuteiro que regressava de uma actividade no mesmo local.

O que o livro descreve é, pois, a viagem de ambos, através de uma Lisboa subterrânea, enquanto cá fora são tomadas todas as medidas para os salvar.

Reunido pela terceira vez, o júri, constituído por José Correia Tavares, Luís Mourão, Luísa Mellid-Franco e Pedro Mexia, deliberou por maioria atribuir o galardão ao segundo romance de Rui Cardoso Martins. A única excepção foi Eugénio Lisboa, que votou em "O chão dos pardais", de Dulce Maria Cardoso.


Rui Cardoso Martins nasceu em 1967, em Portalegre, e tirou o Curso Superior de Comunicação Social da Universidade Nova de Lisboa.
É jornalista fundador do Público, onde mantém a crónica “Levante-se o Réu” (Pública), das mais antigas da imprensa portuguesa, com dois prémios Gazeta de Jornalismo. Como repórter cobriu, entre outros acontecimentos, o cerco de Sarajevo e Mostar, na Guerra da Bósnia, e as primeiras eleições livres na África do Sul.
Argumentista fundador e sócio das Produções Fictícias, é co-criador do programa satírico Contra-Informação, que escreve desde o primeiro episódio.
Foi co-autor de Herman Enciclopédia, escreveu para Conversa da Treta (rádio, televisão e teatro) e para o jornal Inimigo Público.
Co-autor da série dramática Sociedade Anónima, da RTP.
No cinema, é autor do argumento e guião originais da longa-metragem Zona J.

HISTÓRIA CRUA - A VERDADEIRA HISTÓRIA DE D.NUNO ALVARES PEREIRA , O SANTO CONDESTÁVEL

.
DOM NUNO ALVARES PEREIRA, a história crua

Nuno Alvares Pereira, A VERDADE HISTÓRICA


A imagem de Don Nuno Alvares Pereira, dito, o Santo Condestável, foi muito branqueda através da História, com a excepção honrosa de Fernão Lopes, que dele deu a imagem mais real.Inúmeros historiadore, cumprindo "diktats" dos Poderes constituídos, foram-lhe lavando a imagem, com destaque para o cronista josé Mattoso, a soldo do Estado Novo do santalhão de Santa Comba, que tão desinteressante e maçadora transformou a História pátria e universal, enganando várias gerações de estudantes secundários.
Na verdade, a Tranca está em condições de reparar as lacunas da História e assumir o passado tal qual ele se desenrolou:
Nuno Alvares, dito "fero Nuno que nos apouca" na versão Camoniana, nasceu a 24 de Junho de 1360 em Cernache de Bonjardim.

Nuno Alvares Pereira, filho ilegitimo do Mestre dos Hospitalários, odiava de morte o apelido de família que herdara de seu pai , um plebeu sem berço, pelo significado bem rosqueiro da sua origem , um ex-office boy, de uma empresa miltifeudal do Conde Deloitte, e do Barão McKenzie, que aproveitador, abusara da honra da sua mãe, enganando-a para, através da sua monarquice, entrar no jet-set, e poder ser aceite um dia num talk-show da TVI. Chamar-se Pereira atormentava-o deveras.
O seu grande sonho era valorizar a sua costela monárquica e deletar a parte plebeia da sua origem.

Através de cunhas subterrâneas dum tal Conde Castelo Branco,conseguiu misturar-se na nobreza e fazer parte do séquito do rei Dom Fernando, vindo a ser 4 anos mais tarde armado Cavaleiro e também por cunha nomeado Administrador duma Companhia de Transportes de Camelos .
A raiva pelos espanhóis vem dessa época,pois entra em conflito com o Conde de Andeiro, quando este mancumunado com Dona Leonor de Teles, instala em território português o Corte Inglês e a Zara e a Repsol. Ele que se tinha tornado industrial de armaduras e ferrragens não podia consentir que o seu país fosse invadido pelo pret-a-porter, pelos caramelos de Badajoz e o combustível martelado da Repsol.
Por obediência a seu pai e seu próprio interesse, casa com D. Leonor de Alvim, rica dama de Entre-Campos. Do casamento nasceu uma filha: Dona Beatriz, ainda mais feia que ele. Após a morte de D. Fernando e porque a filha deste era casada com o rei de Espanha, vendo ameaçada a independência nacional entra em actividade política,funda um Partido e entra na luta partidária, . Em Santarém dá-se o estranho encontro com o Alfageme de Santarém, e logo lhe promete a mão da sua feiosa filhota, em troca de mil e duzentas bazucas, cem canhões sem recuo e um poster do Mantorras em pelota. Por causa do buço e da placa dentária sempre a cair , de Dona Dona Beatriz, o negócio esteve tremido, mas o Almoçageme de Santarem acaba por aceitar perante a ameaça de publicação na Gazeta do Paço a denúncia que era passivo anagógico.

Com o armamento traficado ataca os espanhóis e depois de dois empates seguidos, ganha a batalha de Aljubarrota, ainda que tenha sido muito ajudado pelo árbitro, que fez vista grossa às famosas armadilhas ilegais contruídas à entrada da área (paus aguçados espetados em alçapões disfarçados.) que Fernão Lopes referiu, mas que sempre foi branqueado pelos outros historiadores, principalmente pelos do Estado Novo. Como prémio foi convidado e depois nomeado pelo Mestre de Avis Regedor e Defensor do Reino e empossado no cargo de Presidente do Conselho de Admistração da Caixa Geral de Depósitos Já viúvo abre uma boîte de quadros-vivos e massagens eróticas no Convento do Carmo, em Lisboa. Em 1422 apaixona-se por uma pessoa de sexo indefinido, tem uma enorme decepção de amor, deixa crescer as barbas e as unhas dos pés, os cabelos das orelhas, e os pelos do nariz, vende seus bens e entrega-se à vida monástica, em 1423 a 15 de Agosto. Convoca uma Conferência de cronistas e faz uma confissão pública de que na Batalha de Aljubarrota usou por baixo uma calcinha preta de mulher, com rendinhas e folhos e um cinto ligas vermelho, e que quando era chavalote, cheirou cola , arrumou carros no Intendente e no Mercado de Alvalade. Ei-lo agora o asceta despegado de toda as ambições terrenas, nunca nais ninguém o viu no Lux, Kremlin ou mesmo no Galeto à noite , entregue por completo ao único fito de servir o Senhor,fez-se Carmelita descalço com o nome de Frei Nuno de Santa Maria.
Viveu ainda oito anos, como simples frade, dedicando-se à oração, à penitência e aos trabalhos mais humildes do Convento do Carmo de Lisboa, construído por ele mesmo. Faleceu em 1º de abril de 1431 com a gripe das aves, por se ter negado a tomar Tamiflu. Seus funerais foram um triunfo, com a presença do povo e de toda a corte portuguesa.

O seu culto memorável foi reconhecido pela Santa Sé em 1918. A comemoração do Beato Nuno de Santa Maria é celebrada a 1º de abril. O processo de carbonização está ainda em andamento.

II CIMEIRA DE BENFICA -

.
O NOSSO ENCONTRO DESTE MÊS VAI ACONTECER
NO DIA 30, NO RESTAURANTE D.JOÃO ,EM
BENFICA.

Da nossa PRIMEIRA ,DINA, recebeu a TRANCA a habitual convocatária:

"Amigos e amigas, cá estou para vos falar do nosso encontro mensal.
Por motivos vários este mês o nosso repasto terá de ser em Lisboa. Escolhemos o Restaurante " D. JOÃO " em Benfica onde já estivemos em Julho de 2009. Comemos bem e fomos bem tratados.
Peço-vos que confirmem com muita urgência ( caso não possam ir respondam na mesma a este e-mail ) pois o restaurante fechará para outros clientes se enchermos a sala.
A morada é : Rua Quinta do Charquinho, loja 2B - Benfica. Para quem não foi lá da outra vez esta rua inicia numa rotunda onde acaba a Av. do Uruguai, muito perto do C.C.Colombo.

Espero, ainda hoje, começar a receber respostas.
Bjs
Dina
"


Recordo aqui com algumas imagens ,como foi a anterior CIMEIRA no D.JOÂO, que correu muito bem,desde os comes aos detalhes.













Estivemos 25 companheiros à mesa

Augusto,Melo,Azevedo ,Herdeiro,Ricardo,Faustino,Manuela Brito e Silva,Manuela Mascarenhas,Sampaio,Antunes ,Guilhermina,Alice Teles,Coelho de Almeida,Zé Carlos Carvalho,Irene e filha, Guedes Vaz,Mesquita,Coelho (CCO)Cascada,Pereira Martins,Dina e neta,Chico Dias,Maria João .


IMAGEM OFICIAL QUE PASSOU NA TV PARLAMENTO







terça-feira, setembro 21, 2010

A EQUIPA DE FUTEBOL DA TAP SERVIÇOS



Onde joga o nosso companheiro VALENTE.

ooops

.

ESTORIL FILM FESTIVAL 2010

.
ESTE ANO VAMOS TER A
4ª.EDIÇÃO DO FESTIVAL
DE CINEMA DO ESTORIL,
ENTRE 5 E 14 DE NOVEM-
BRO, E A TRANCA VAI LÁ
ESTAR.



O Estoril Film Festival, com esta sua quarta edição, torna-se uma referência incontornável no panorama dos festivais internacionais e pretende, mais uma vez, celebrar o Cinema como verdadeira Sétima Arte, confrontando o seu passado, o seu presente e futuro e a sua relação permanente com as outras formas de expressão artística.

Pretende ser um ponto de encontro entre o público, realizadores, conceituadas personalidades do mundo das artes e um palco permanente de discussão, reflexão, debate e, acima de tudo, um espaço para descobrir e redescobrir a Arte Cinematográfica.

Através das diversas secções – Em Competição; Fora de Competição, com a presença de grandes realizadores e actores internacionais; Retrospectivas; Homenagens; Master
Classes; Encontro Anual dos Distribuidores Europeus; Encontro das principais Escolas de Cinema Europeias; Cineastas Raros; CinemArt – os artistas e a arte cinematográfica; O Cinema e a Sua História; Exposições; Concerto - esperamos contribuir, definitivamente, para que o Estoril seja um ponto de encontro para o público, para os profissionais de cinema, jornalistas e para todos aqueles que esperam desfrutar das actividades propostas e enriquecer a sua ligação ao Cinema.

Lou Reed e John Malkovich são duas das presenças confirmadas no Estoril Film Festival 2010, que vai decorrer entre os dias 5 e 14 de Novembro, cuja conferência de imprensa de apresentação foi esta sexta-feira, em Cascais.

A abertura do festival será feita com a exposição de fotografia «Romanticism» de Lou Reed e o músico nova-iorquino estará presente na exibição do documentário «Red Shirley».

John Malkovich virá mostrar a sua faceta de estilista e haverá uma passagem de modelos das suas peças que a organização pretende que seja feita por actores portugueses; assim como serão exibidas as curtas-metragens que o actor norte-americano fez sobre o trabalho de Bella Freud, membro do júri.

As retrospectivas da edição deste ano contemplam as obras completas de Katheryn Bigelow e de Elia Suleiman estando a presença do realizador palestino também confirmada.

Os homenageados deste ano serão cinco: Roman Polanski, Vincent Gallo, Chris Marker, Marisa Paredes e Koji Wakamatsu - sendo que estes dois últimos estarão presentes no festival. A presença de Vincent Gallo ainda está por confirmar sendo que a concretizar-se poderá incluir um concerto.

O músico Giya Kancheli também será homenageado em concerto e Sophie Auster também estará no EFF`10 para actuar como cantora. Kancheli dará uma das masterclasses previstas, assim como o juiz espanhol Baltasar Garzón será outras das personalidades presentes para falar da Justiça e dos abusos de poder no mundo (com «A Autobiografia de Nicolae Ceausescu» como ponto de partida, filme que está em competição, de Andrei Ujica, cuja integral da obra vai ser apresentada).

As outras masterclasses e encontros com o público já previstos estarão a cargo de Otar Iosseliani, Elia Suleiman, Stephen Frears (num regresso ao festival), Anton Corbijn, John Malkovich e Mathieu Amalric (outro regressado que vai ter «Tournèe» exibido fora de competição).

Corbijn terá também um filme fora de competição, «The American», assim como terá as suas fotografias expostas. Neste plano das exposições, o leque fica completo com Alberto Gacia-Alix a apresentar algumas fotografias e o filme que fez para esta exposição: «De Donde No Se Vuelve».

Entre os filmes fora de competição destacam-se também «Chantrapas», de Otar Iosseliani, «Machete», de Robert Rodriguez, e «Road to «Nowhere», de Monte Hellman, ou «Copie Conforme», de Abbas Kiarostami, e «Another Year», de Mike Leigh, mas estes dois últimos ainda não estão confirmados.

Os filmes em competição ainda estão a ser definidos, mas entre os que já foram escolhidos (como o de Ujica) está o português «A Espada e a Rosa», de João Nicolau.

O júri do EFF`10 é composto pela compositora Laurie Anderson, pelo pianista Piotr Anderszewski (que dará um concerto), pelo chefe de cozinha Juan Mari Arzak, pelo musico português Adolfo Luxúria Canibal, pela designer de moda Bella Freud e pala actriz Valeria Golino.

Estão ainda em destaque as obras de Lawrence Weiner e Douglas Gordon, assim como a evocação dos já desaparecidos Ruy Duarte de Carvalho e Werner Schrötter. O filme «Mistérios de Lisboa, de Raúl Ruiz (que estreia em Outubro) será apresentado na versão para televisão (com seis horas de duração).

A edição deste ano do Estoril Film Festival será alargada a novos espaços. A Casa das Histórias Paula Rêgo, o Centro Cultural de Cascais, o Auditório da Boa Nova, a Casa de Santa Maria e o Museu Condes de Castro Guimarães juntam-se aos já habituais Centro de Congressos do Estoril e Casino Estoril.

Os bilhetes para o festival custarão 4 euros para o público em geral, 2 euros para estudantes e 1 euro para estudantes de cinema e profissionais do sector.

A conferência de imprensa desta sexta-feira foi feita pelo presidente da Câmara Municipal de Cascais, António Capucho, e pelo director do festival, Paulo Branco, tendo estado também presentes Duarte Nobre Guedes, presidente do Turismo do Estoril, e Mário Assis Ferreira, presidente da Estoril Sol.

gente nossa - TERESA ABRAÇOS,VERA e MARTA

.

CARTOONS DA NOSSA INFÂNCIA

.

segunda-feira, setembro 20, 2010

L'AVENTURE C'EST L'AVENTURE....agora com SARKOZY

.
QUEM NÃO SE LEMBRA DO "L'AVENTURE C'EST L'AVENTURE
DE LELOUCH, COM ALDO MACCIONE, LINO VENTURA, JACQUES
BREL. AGORA VAI HAVER UMA SEGUNDA VERSÃO COM SARKOZY

a 20 de SETEMBRO nasceu SOFIA LOREN

.
SOFIA LOREN



Sophia Loren, nome artístico de Sofia Villani Scicolone, (Roma, 20 de setembro de 1934) é uma atriz italiana.

Quando ainda era muito pequena, sua família transferiu-se ao município napolitano de Pozzuoli, onde viveu até a adolescência em uma situação econômica muito difícil.

Descoberta em 1952 no set do filme "Africa sotto i mari" pelo REALIZADOR Carlo Ponti, que posteriormente viria a se tornar seu marido, .
Trabalhou com grandes realizadores como Vittorio De Sica, Federico Fellini, Ettore Scola, Robert Altman, Lina Wertmüller, entre outros.

Sophia Loren ganhou o Oscar de Melhor Atriz pelo filme 'Duas mulheres", que também lhe rendeu o prêmio de Melhor Atriz no Festival de Cannes.

Lina Wertmüller desejava filmar Tieta de Jorge Amado, antes da produção de Cacá Diegues e a protagonista seria Sophia Loren[carece de fontes?].


1950 – Il voto (O voto)
1950 – Io sono il capataz (Sou o capataz)
1950 – Le sei mogli di Barbablù
1950 – Totò Tarzan
1950 – Cuori sul mare (Corações sobre o mar)
1951 - Quo Vadis? (Quo Vadis)
1951 – Era Lui!... Si! Si! (Era ele)
1951 – Il mago per forza (Mágico a força)
1951 – Il padrone del vapore
1951 – Milano miliardaria (A milionária de Milão)
1951 - Anna
1952 – È arrivato l'accordatore
1952 – Il sogno di Zorro
1952 – La favorita (A favorita)
1953 - Ainda
1953 - Ci troviamo in galleria (A galeria é o ponto de encontro)
1953 - Due notti con Cleopatra (Noites de Cleópatra)
1953 - Il paese di campanelli
1953 - La domenica della buona gente
1953 - La trata delle bianchi (Mercado de mulheres)
1953 - Pellegrini d'amore (A embaixatriz do amor)
1953 – Il segno di venere (O signo de Vênus)
1953 - Africa sotto i mari
1954 – Attila (Attila)
1954 – Carosello napolitano
1954 – Miseria e nobilità
1954 – Tempi nostri
1954 – Un giorno in pretura
1954 - The Gold of Naples
1955 - Scandal in Sorrento
1955 - Too bad she's bad
1955 - Woman of the river
1955 – La bella mugnaia (A bela moleira)
1956 - Lucky to Be a Woman
1957 - Boy on a dolphin (A lenda da estátua nua)
1957 - The Legend of the Lost (A Lenda dos Desaparecidos)
1957 - The Pride and the Passion (Orgulho e paixão)
1958 - Desire Under the Elms Desejo (Desire under the elms)
1958 - Tentação morena (Houseboat)
1958 - The Key
1958 - The Black Orchid (A orquídea negra)
1959 - That Kind of Woman (Mulher daquela espécie)
1960 - A Breath of Scandal (O escândalo da princesa)
1960 - It Started in Naples (Começou em Nápoles)
1960 - The Millionairess (Com milhões e sem carinho)
1960 - Heller in Pink Tights (Jogadora infernal)
1961 - La ciociara (Duas mulheres])
1961 - Madame Sans-Gêne (Madame Sans-Gêne)
1961 - El Cid (El Cid)
1962 - Bocaccio'70 (Bocaccio'70)
1962 – I sequestrati di Altona
1963 - Five milles to midnight
1964 - Ontem, hoje e amanhã (Ieri, oggi, domani)
1964 - A queda do império romano (The Fall of the Roman Empire)
1964 - Matrimônio à italiana (Matrimonio all'italiana)
1965 - Operação Crossbow (Operation Crossbow)
1965 - The Love Goddesses
1965 - Lady L (Lady L)
1966 - Judith
1966 - Arabesque (Arabesque)
1967 - Felizes para sempre (More than a miracle)
1967 - A condessa de Hong Kong (A Countess from Hong Kong)
1968 - Questi fantasmi (Fantasmas à italiana)
1970 - I Girasoli (Os girassóis da Rússia)
1971 - La mortadella (Mortadela)
1971 - O pecado (Bianco, rosso e …/White sister)
1971 - A mulher do padre (The Priest's Wife)
1972 - O homem de La Mancha (Man of La Mancha)
1974 - Viagem proibida (Il viaggio)
1974 - A sentença (Veredict)
1975 - La pupa del gangster (A garota do chefe)
1976 - A travessia de Cassandra (The Cassandra Crossing)
1977 - Angela
1977 - Una giornata particolare (Um Dia Muito Especial)
1978 - Alvo de quatro estrelas (Brass Target)
1979 - Amor e ciúme (Blood Feud)
1979 - Firepower (Poder de fogo)
1990 - Sabato, domenica e lunedi (Sábado, domingo e segunda)
1994 - Prêt-à-Porter (Prêt-à-porter)
1995 - Grumpier Old Men (Dois velhos mais rabugentos)
1996 - Messages
1997 - Soleil
2002 - Between strangers (Desejo de liberdade)
2004 - Peperoni ripieni e pesci in faccia (A casa dos gerânios)
2009 - Nine (Nine)
[editar] Na televisão
1974 - Encontro casual (Brief encounter)
1984 - Aurora (Qualcosa di biondo)
1986 - Courage, uma história verídica (Courage)
2001 - Francesca e Nunziata
2004 - Lives of the saints
2004 - Peperoni ripieni e pesci in faccia

Premios
1961 – David di Donatello por I Girasoli
1962 - Oscar de melhor atriz por La ciociara
1974 - David di Donatello por Il Viaggio
1978 - David di Donatello por Una giornata particolare
1984 - David di Donatello , prêmio especial
1991 – César honorário
1994 – Urso de Ouro honorário
1995 – Golden Globe – recebeu o prêmio Cecil B. DeMille
1999 - David di Donatello, homenagem à carreira
2010 - Prémio Casta D'Ouro Carreira no Douro Film Harvest.

ONTEM NO BRASILEIRÃO HOUVE FLA-FLU

.


Ontem no brasileirão tam,bém houve clássico.
Jogou-se o famoso FLA-FLU
O resultado foi 3-3-
Podes vêr detalhes no
www.blogluso-carioca.blogspot.com

domingo, setembro 19, 2010

actualidade

.


-"Maintenaint les "romas" aprés les négres, les hispaniques, les portugais, les arabes,les..."

CARLOS MARTINS, ESTÁS LIXADO

.


Falhou a tentativa de Carlos Martins de tentar evitar que o novo técnico da selecção viesse a ser o seu "amigo" Paulo Bento.

Carlos Martins passou todo o dia de ontem em Fátima a pedir a Nossa Senhora e aos Pastorinhos para que Mourinho fosse liberado pelo Real Madrid.

Fez várias promessas, andou de joelhos, "pagou" milhares de flexões , mas nada resultou.

No final um grito de raiva.
Está marcado para hoje depois do jogo da Luz a sua declaração de renúncia à selecção.

sábado, setembro 18, 2010

A CASA PAULA REGO em festa

.
Casa Paula Rego «Em Festa» a partir de hoje



A Casa das Histórias Paula Rego vai assinalar o primeiro ano a exibir mostras e a acolher eventos com um recheado programa cultural, «Em Festa», a decorrer hoje, sábado, e amanhã domingo.
«Actividades e percursos, manifestações visuais, musicais, performativas em torno de temas como os Contos Tradicionais e o diálogo entre as expressões artísticas», são alguns dos pontos do programa do aniversário da CdH.

Em ambos os dias, decorrerão visitas orientadas às mostras «Victor Willing: Uma retrospectiva» (dia 18 às 10:00 horas e dia 19 às 14:30) e «Paula Rego Anos 70: Contos Populares e Outras Histórias» (dia 18, 14:30 e dia 19, 10:00 horas).

Amanhã, a partir das 11:00 horas, o espaço propõe «Narração e Música». Às 12:15 e 15:30 terá lugar a música e a dança com «Uma Avestruz Bailarina». Ateliers de expressão plástica e escrita e uma visita teatral completam o programa do dia, que ainda inclui mais tarde «Cegarreda dos Bichos» (narração e música), «Hip Hip Hurra!!!» (aniversário da instituição) e «Alda Bizarro – A Casa» (dança).

eles disseram

.
É compreensivel o interesse de Portugal em contar com o melhor treinador do Mundo,mas a proposta é absurda. Compromete Mourinho,prejudica o Real Madrid e projecta uma imagem pouco séria da Federação lusa.
(A MARCA)
.
Como poderia Mourinho dizer 2não" ao seu país?O que é imcompreensivel é os seus compatriotas o tenham atirado parav este pântano
(A MARCA)
.
Gosto tanto do Porto que não me sobra espaço para ser contra qualquer outro clube
(PAULO TEIXEIRA PINTO)

WE ARE ALL ONE

.


Vêr até ao fim ,e meditar.

sexta-feira, setembro 17, 2010

preliminares

.
Um coelho estava a correr pela floresta fora quando viu uma girafa a acender
um charro. Parou e disse:
- Ó girafa! Pára de fumar essa merda que te faz mal, e vamos mas é correr
pela floresta! Vais ver como te vais sentir muito melhor !!!
A girafa pensou por um segundo, e disse:
- Tens razão, coelho, bora nessa!
Assim, jogou o charro fora e foi correr com o coelho.
Pouco mais a frente eles encontraram um urso a cheirar cola.
Eles olharam-se e o coelho saltou logo para a frente do Urso:
- Ó urso, deixa essa merda! Essa treta só te faz mal, vem mas é correr
connosco e sentir o ar puro dentro dos teus pulmões!
O urso saltou para a frente e começou a correr com eles até ncontrem um
elefante a snifar cocaína.
- Ó elefante, estás maluco! Dás cabo de ti com essas merdas! Vem mas é
connosco correr pela floresta!
O elefante pensou um pouco, mas resolveu juntar-se ao grupo, que metros
depois encontrou o leão a injectar heroína.
Mais uma vez, o nosso amigo coelho pôs-se à sua frente e disse:
- Ó leão, deixa-te de merdas e vem correr....
Nem terminou de falar e levou uma patada do leão que o fez voar uns bons
metros. Os outros animais revoltados perguntaram:
- Estás maluco? Por que fizeste isso???
O leão respondeu:
- Sempre que este filho da puta toma ecstasy, faz-me correr que nem um
idiota pela floresta!!!

O CHICO VIEIRA AFINA A VIOLA PARA A NOSSA RENTRÉE

.

benfica-sporting no CAMPEONATO 1959-60

.


Assisti a este jogo, na bancada por detrás da baliza para onde o Benfica atacou na 1ª.parte, com o meu amigo João Mendonça, irmão do nosso companheiro Tó Mendonça.

preliminares

.
Paulinho tem 9 anos e foi passar uns dias na casa da vovó.
Ele estava brincando na rua com alguns coleguinhas e uma hora entrou em casa
perguntando:
*- *Vovó, como se chama aquilo quando duas pessoas dormem no mesmo quarto e
ficam uma em cima da outra?
A vovó se assustou com a pergunta, pensou e achou que seria melhor dizer a
verdade:
*- *Bem, Paulinho, isso se chama uma relação sexual.
Paulinho satisfeito com a resposta voltou para a rua para brincar.
Dentro de instantes ele entra em casa novamente todo esbaforido e diz:
*-* Vovó, aquilo que eu perguntei, se chama *BELICHE,* e a mãe do Zezinho
quer falar com a senhora...

quinta-feira, setembro 16, 2010

VEM AÍ A NOSSA RENTRÉE



A nossa reentrée está a ser cuidadosamente pensada.
Vejam a TRANCA todos os dias....

quarta-feira, setembro 15, 2010

"O GATO DE UPSALA" incluido no plano nacional de leitura do 8º.ano de escolaridade

.
O LIVRO "O GATO DE UPSALA" DA
NOSSA COLEGA DE TANTOS ANOS,

CRISTINA CARVALHO, ESCOLHIDO
PARA O PLANO NACIONAL DE LEI-
TURA DO 8º.ANO DE ESCOLARIDADE.




O "Gato de Uppsala" foi escolhido para incluir no Plano Nacional de Leitura para o 8º ano da escolaridade obrigatória e no ensino recorrente.

A Cristina, no próximo dia 20 de Outubro ,pelas 18,30, vai estar a proferir uma Conferência nos Serviços Sociais da Câmara Municipal de Lisboa sob o tema:
"A VIDA E OBRA DE FREDERYK CHOPIN"



Na mesma altura , a Cristina apresentará o seu livro "NOTURNO" o romance de Chopin.

eles disseram

.
De cada vez que Hulk abre o livro, não são só os defessas , como os do Braga, que se arrepiam de dôres abdominais;são também Vieira e Rui Costa que se devemcontgorcer de dores.
(MIGUEL SOUSA TAVARES)
.
Com a nomeação de Paulo Bento para o cargo de selecionador, duas conquências estão à vista: A próxima declaração de Carlos Martins a renunciar à selecção , e a aplicação de um rol de castigos aos jogadores ,já pensados pelo antigo técnico do Sporting.
(JOÃO VILAVERDE)
.
Ontem no final do jogo Benfica-Apoel, pensava que o Rui Costa iria aparecer a insurgir-se contra o árbitro por não ter assinalado 2 penalties claros na área do seu clube.
(VICENTE CARVALHEIRA)

preliminare algarvio

.
Pergunta o miúdo à mãe:

- Ó mãe, o qué um insete ?
- Ê cá nã sê, preguntá mana ...!
- Ó mana, o qué um insete ?
- Pôs nã sê... preguntó pai ...!
-Ó pai, o qué um insete ?
-Ó mê granda burre... um insete sã Oite ...!

dia europeu da ópera em palplona - no Café Iruña

.
NO IRUÑA DE PAMPLONA
OUVIU-SE ÓPERA




FESTIVAL DE VENEZA 2010 - OS PREMIADOS

.
O FESTIVAL DE CINEMA DE VENEZA
COM O PRETIGIO QUE TEM, É UM
INDICADOR SEGURO PARA O BOM
CINEMA.
A TRANCA , COMO É HABITUAL MOS-
TRA AQUI A LISTA DOS PREMIADOS

Leão de Ouro

"Somewhere"
(EUA), de Sofia Coppola


Prêmio especial do Júri
"Essential Killing"
(Polônia, Noruega, Hungria, Irlanda), de Jerzy Skolimowski

Leão de Prata para melhor reaqlização
Álex de la Iglesia
"Balada Triste de Trompeta" (Espanha, França)

Copa Volpi para melhor interpretação masculina
Vincent Gallo
"Essential Killing" (Polônia, Noruega, Hungria, Irlanda), de Jerzy Skolimowski

Copa Volpi para melhor interpretação feminina
Ariane Labed
"Attenberg" (Grécia), de Athina Rachel Tsangari

Prêmio Marcello Mastroianni para ator ou atriz revelação
Mila Kunis
"Black Swan" (EUA), de Darren Aronofski

Osella para melhor fotografia
Mikhail Krichman
"Ovsyanki" (Silent Souls), de Aleksei Fedorchenko (Rússia)
Osella para melhor roteiro
Álex de la Iglesia
"Balada Triste de Trompeta" (Espanha, França)

Leão do Futuro - Prêmio Luigi di Laurentiis para melhor primeiro filme
"Cogunluk"
(Majority), de Seren Yüce (Turquia)

OOOPS

.

terça-feira, setembro 14, 2010

história crua

.


A primeira sindicalista

preliminares

.
Entre marido e mulher
Ela pergunta ao Marido:
-- Com quantas mulheres dormiste tu ?
O Marido responde orgulhoso:
-- Só contigo, querida ! Com as outras ficava acordado !

segunda-feira, setembro 13, 2010

sexta-feira, setembro 10, 2010

a 10 de SETEMBRO nasceu ROBERT WISE

.
Robert Wise



Robert E. Wise (nascido em 10 de setembro de 1914, Winchester, Indiana, EUA - falecido em 14 de setembro de 2005, Los Angeles) foi um cineasta e produtor norte americano.


Wise queria ser jornalista, mas a depressão econômica mudou seus planos e ele foi parar na RKO, carregando latas de filmes.Tornou-se técnico som (e, como tal, seu nome integra o da equipe de "O Delator", de John Ford). Passou a montador em 1939, mas só dois anos depois Orson Welles irrompeu em sua vida, com o culturado "Cityzen Kane".

Três anos mais tarde, cooptado pelo produtor Val Lewton, o próprio Wise assinou seu primeiro longa como realizador. "A Maldição do Sangue de Pantera" (co-direção de Gunther Friesch) foi o primeiro de uma série de filmes fantásticos que realizou ao longo de sua carreira. Wise sempre acreditou no valor da ficção cientifica e do horror de sugestão que Lewton praticava. Faleceu aos 91 anos em 14 de setembro de 2005 e em Los Angeles, de insuficiência cardíaca.

Filmografia de Robert Wise



The Curse of the Cat People (A maldição do sangue da pantera), 1944
Mademoiselle Fifi, 1944
A Game of Death (O túmulo vazio), 1945
The Body Snatcher, 1945
Criminal Court (A fera humana), 1946
Born to Kill (Nascido para matar), 1947
Mystery in Mexico (Mistério no México), 1948
Blood on the Moon (Sangue na Lua), 1948
The Set-up (Punhos de campeão|), 1949
Two Flags West (Entre dois juramentos), 1950
Three Secrets (Os três segredos), 1950
The House on Telegraph Hill (Terrível suspeita), 1951
The Day the Earth Stood Still (O dia em que a Terra parou), 1951
The Captive City (Cidade cativa), 1952
Something for the Birds (Falsa verdade), 1952
The Desert Rats (Ratos do deserto), 1953
Destination Gobi (Prisioneiros da Mongólia), 1953
So Big (Meu filho, minha vida), 1953
Executive Suite (Um homem e dez destinos), 1954
Helen of Troy (Helena de Tróia), 1955
Tribute to a Bad Man (Honra a um homem mau), 1956
Somebody Up There Likes Me (Marcado pela sarjeta), 1956
Until They Sail (Esta noite ou nunca), 1957
This Could Be the Night (Famintas da amor), 1957
Run Silent Run Deep (O mar é nosso túmulo), 1958
I Want to Live!, 1958
Odds Against Tomorrow (Homens em fúria), 1959
West Side Story (br: Amor, sublime amor / pt: West Side Story), 1961
Two for the Seesaw (Dois na gangorra), 1962
The Haunting (Desafio ao além), 1963
The Sound of Music (br: A noviça rebelde / pt: Música no coração), 1965
The Sand Pebbles ( Yang-Tsé em Chamas), 1966
Star! (A estrela), 1968
The Andromeda Strain (O enigma de Andrômeda), 1972
Two People (Amor sem promessas) 1973
The Hindenburg (O dirigível Hindenburg), 1975
Audrey Rose (As duas vidas de Audrey Rose), 1977
Star Trek: The Motion Picture (br: Jornada nas estrelas / pt: Caminho das estrelas), 1979
Rooftoops (Nos telhados de Nova York), 1989
A Storm in Summer, 2000 (para televisão)

[editar] Prémios e nomeações
Recebeu três nomeações ao Óscar de melhor filme, por West Side Story (1961), The Sound of Music (1965) e The Sand Pebbles (1966); venceu por West Side Story e The Sound of music.
Recebeu três nomeações ao Óscar de melhor realizador, por Quero Viver! (1958), West Side Story (1961) e The Sound of Music (1965); venceu por West Side Story e The Sound of Music.
Recebeu uma nomeação ao Óscar de melhor edição, por Citizen Kane (1941).
Ganhou o Prémio Irving G. Thalberg, concedido pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, em 1967.
Recebeu três nomeações ao Globo de Ouro de melhor realizador, por The Haunting (1963), The Sound of Music (1965) e The Sand Pebbles (1966

quinta-feira, setembro 09, 2010

FESTIVAL MEDITERRÂNICO SETE SÓIS,SETE LUAS, em CASTRO VERDE

.
É JÁ AMANHÃ QUE COMEÇA EM CASTRO VERDE
MAIS UMA EDIÇÃO DO JÁ FAMOSO FESTIVAL
SETE SÓIS ,SETE LUAS, QUE TRAZ À VILA
ALENTEJANA O QUE HÁ DE MELHOR DA CUL-
TURA MEDITRERRÂNICA.

Poderás acompanhar com maior detalhe o que se vai passar nos 3 dias de Festival, se acesares a
www.casa-das-primas.blogspot.com



Festival Planície Mediterrânica 2010

O Festival Planície Mediterânica, integrado no Festival Sete Sóis Sete Luas, regressa a Castro Verde para mais uma viagem musical com destino à fusão de culturas e à síntese de diferentes linguagens mediterrânicas. Desenrola-se entre os dias 10 e 12 de Setembro, sempre com entrada livre.

Este espírito é representado em pleno por Les Boukakes, um grupo franco-argelino composto por sete músicos de influências múltiplas. Em comum, têm o gosto pelo cruzamento de ritmos funk, reggae, rock e raï, que o "Libération" descreveu como "um cocktail tónico irrepreensível". Kristi Stassinopoulou, cantora e autora ateniense, é outro destaque do cartaz. Vai buscar as tradições gregas para as fundir com outras tradições, mas também com electrónicas, e já foi comparada a Björk e a Patti Smith. Por seu lado, a marroquina Sakina Al Azami dedica particular atenção à diversidade que caracteriza a música tradicional do seu país. Quem quiser mudar a rota e ouvir uma das maiores revelações recentes dos sons bascos, deve ir ao encontro dos Korrontzi e da forma como têm redescoberto a trikitixa (espécie de concertina). Já o colectivo franco-português Extravanca usa o acordeão na sua enorme versatilidade: do jazz ao corridinho, são muitos os géneros que por aqui passam. O projecto I Percussonici traz da Sicília a fusão entre o som do "marranzano" (instrumento regional típico) e os ritmos do Norte de África. À beira do Mediterrâneo nasceu também um projecto do Sete Sóis Sete Luas chamado Les Voix du7Sóis. O multi-instrumentista Stefano Saletti dirige este colectivo formado por cantores e instrumentistas de Israel à Itália, passando por Portugal. E Portugal está bem representado no cartaz em projectos como Fol & Ar e Mosca Tosca, que se juntam em palco para um baile duplo, com sons de toda a Europa. A concertina está no centro das atenções, mas o chamamento é feito por muitos outros instrumentos: violino, harpa, contrabaixo, violoncelo, gaita... O grupo Tiborna Mediterrânica e as selecções do DJ Mati@s juntam-se à festa. Caravana, Violas Campaniças, Polifonias Alentejanas e Artesãos da Música completam o cartaz musical. Como o Festival Planície Mediterrânica é muito mais do que uma série de concertos, o visitante pode ainda contar com gastronomia, exposições, bailes, animação de rua, artesanato, oficinas, passeios, uma feira do livro e até um convívio com... borboletas

quarta-feira, setembro 08, 2010

preliminares

-

Um médico, em Dublin, queria DESCANSAR e ir pescar.
Então aproximou-se do seu assistente e disse-lhe:
- Murphy, amanhã vou caçar e não quero fechar a clínica. Acha
que consegue cuidar dela e de todos os pacientes?
- Sim, senhor! - respondeu Murphy.
O médico foi pescar e voltou no dia seguinte.

- Então, Murphy, como correu o dia?
- Cuidei de três pacientes. O primeiro tinha uma dor de cabeça
e, então, eu dei-lhe paracetamol.
- Bravo, meu rapaz .
- E o segundo? - perguntou o médico.
- O segundo teve indigestão e eu dei-lhe Guronsan- informou Murphy.
- Bravo, bravo! Você é bom nisso... E o terceiro? - perguntou o médico.
- Bom, doutor, eu estava sentado aqui e, de repente, abriu-se a
porta e entrou uma linda mulher. Ela arrancou a roupa, despiu tudo,
incluindo o sutiã e as cuequinhas. Depois deitou-se sobre a marquesa,
abriu as pernas e gritou: «AJUDE-ME, pelo amor de Deus! Há mais de um
ano que eu não vejo homem!''
- Nossa Senhora, Murphy, o que é que você fez? - perguntou o médico.
- Eu pus-lhe gotas de Visadron nos olhos, doutor!

Obesidade Mental

Quem conhecer jornalistas, ofereçam-lhes este texto.
É "nisto" que estamos.



O prof. Andrew Oitke publicou o seu polémico livro «Mental Obesity», que revolucionou os campos da educação, jornalismo e relações sociais em geral.
Nessa obra, o catedrático de Antropologia em Harvard introduziu o conceito em epígrafe para descrever o que considerava o pior problema da sociedade moderna.

«Há apenas algumas décadas, a Humanidade tomou consciência dos perigos do excesso de gordura física por uma alimentação desregrada.
Está na altura de se notar que os nossos abusos no campo da informação e conhecimento estão a criar problemas tão ou mais sérios que esses.»
Segundo o autor, «a nossa sociedade está mais atafulhada de preconceitos que de proteínas, mais intoxicada de lugares-comuns que de hidratos de carbono.
As pessoas viciaram-se em estereótipos, juízos apressados, pensamentos tacanhos, condenações precipitadas.
Todos têm opinião sobre tudo, mas não conhecem nada.
Os cozinheiros desta magna "fast food" intelectual são os jornalistas e comentadores, os editores da informação e filósofos, os romancistas e realizadores de cinema.
Os telejornais e telenovelas são os hamburgers do espírito, as revistas e romances são os donuts da imaginação.»
O problema central está na família e na escola.
«Qualquer pai responsável sabe que os seus filhos ficarão doentes se comerem apenas doces e chocolate.
Não se entende, então, como é que tantos educadores aceitam que a dieta mental das crianças seja composta por desenhos animados, videojogos e telenovelas.
Com uma «alimentação intelectual» tão carregada de adrenalina, romance, violência e emoção, é normal que esses jovens nunca consigam depois uma vida saudável e equilibrada.»

Um dos capítulos mais polémicos e contundentes da obra, intitulado "Os Abutres", afirma:
«O jornalista alimenta-se hoje quase exclusivamente de cadáveres de
reputações, de detritos de escândalos, de restos mortais das realizações
humanas.
A imprensa deixou há muito de informar, para apenas seduzir, agredir e manipular.»
O texto descreve como os repórteres se desinteressam da realidade
fervilhante, para se centrarem apenas no lado polémico e chocante.
«Só a parte morta e apodrecida da realidade é que chega aos jornais.»
Outros casos referidos criaram uma celeuma que perdura.
«O conhecimento das pessoas aumentou, mas é feito de banalidades.
Todos sabem que Kennedy foi assassinado, mas não sabem quem foi Kennedy.
Todos dizem que a Capela Sistina tem tecto, mas ninguém suspeita para que éque ela serve.
Todos acham que Saddam é mau e Mandela é bom, mas nem desconfiam porquê.
Todos conhecem que Pitágoras tem um teorema, mas ignoram o que é um cateto».


As conclusões do tratado, já clássico, são arrasadoras.
«Não admira que, no meio da prosperidade e abundância, as grandes
realizações do espírito humano estejam em decadência.
A família é contestada, a tradição esquecida, a religião abandonada, a
cultura banalizou-se, o folclore entrou em queda, a arte é fútil, paradoxal ou doentia.
Floresce a pornografia, o cabotinismo, a imitação, a sensaboria, o egoísmo.
Não se trata de uma decadência, uma «idade das trevas» ou o fim da
civilização, como tantos apregoam.
É só uma questão de obesidade.
O homem moderno está adiposo no raciocínio, gostos e sentimentos.
O mundo não precisa de reformas, desenvolvimento, progressos.
Precisa sobretudo de dieta mental.

terça-feira, setembro 07, 2010

MOGI DAS CRUZES, ESTADO DE SÃO PAULO

.
A TRANCA ,JÁ SE SABE, É LIDA POR
UMA GRANDE AUDIÊNCIA NO BRASIL.

Ontem recebemos um email de uma nossa leitora de MOGI MIRIM, no Estado de São Paulo.


Chama-se SUELI ALVORADA e segundo afirma, h+a muito que lê a TRANCA.

"Estou acessando de Mogi Mirim, SP, conheço muito esse vosso blog com muita matéria super interessante.(...) dá para colocar aí num espacinho conhecimento sobre a minha cidade? Um beijão da Sueli"

Ora aí vai ,Sueli:




História

Antes da fundação do povoado de Mogi das Cruzes, o bandeirante Braz Cubas, no ano de 1560, havia se embrenhado pelas matas do território mogiano, às margens do Rio Anhembi, hoje Tietê, à procura de ouro.

Gaspar Vaz abriu o primeiro caminho de acesso de São Paulo a Mogi, dando início ao povoado, que foi elevado à Vila em 17 de agosto de 1611, com o nome de Vila de Sant'Anna de Mogi Mirim. A oficialização ocorreu em 1º de setembro, dia em que se comemora o aniversário da cidade.

Mogi é uma alteração de Boigy que, por sua vez, vem de M'Boigy, o que significa "Rio das Cobras", denominação que os índios davam a um trecho do Tietê. Quando a Vila foi criada em 1611, devido ao costume de adotar o nome do padroeiro, passou a ser denominada "Sant'Anna de Mogy Mirim".

Na língua indígena, Mirim quer dizer pequeno. Provavelmente, uma referência ao riacho Mogi Mirim. A linguagem popular tratou de acrescentar o termo "cruzes" ao nome oficial da Vila. Era costume dos povoadores sinalizar com cruzes os marcos que indicavam os limites da Vila, de acordo com tese de Dom Duarte Leopoldo e Silva, confirmada pelo historiador e professor Jurandyr Ferraz de Campos.

Datas e Fatos

1560 - Ano que marca a fundação de Mogi das Cruzes

1601* - Não há mais tribos indígenas. Fica pronta a primeira ligação entre São Paulo e Mogi das Cruzes, favorecendo o trânsito de paulistanos como Gaspar Vaz, fundador do município, que deixou suas atividades para dedicar-se à formação do povoado de Mogi Mirim (Boigy).

1611 - Surge oficialmente a Vila de Sant'Anna de Mogy Mirim, em 17 de Agosto (oficializada em 1º de setembro) como sítio de grande importância no projeto de povoamento do Brasil. Até a metade do século XVI, existiam 14 vilas, todas no litoral, com exceção de São Paulo de Piratininga.

1822 - Mogi recebe o Príncipe Regente D. Pedro, em 9 de setembro, após a Proclamação da Independência. Hospeda-se no Convento do Carmo - propriedade dos carmelitas instalados na cidade desde 1633, com a construção da Igreja de Ordem 1ª do Carmo. Depois, seguem viagem levando um documento dos mogianos, que reitera apoio à Independência do Brasil.

1865 - Em 13 de março - Elevação a cidade

1874 - Em 14 de Abril - Elevação a comarca.

1º DE SETEMBRO - Comemora-se o aniversário da cidade.

* Há historiadores que entendem ser 1601 o ano de fundação de Mogi das Cruzes. Oficialmente, considera-se o ano de 1560.

gente nossa - o VITOR CADEIAS, O AUGUSTO e o HELDER MESQUITA

.


Na Ponte 25 de Abril, a caminho de uma das nossas Cimeiras, no sul do País.

preliminares

.
Um dia, Glorinha descobriu que o seu pai era gay.
Descontente da vida, incapaz de aceitar a situação, resolveu se matar.
Mas não podia se matar como qualquer outra criatura, afinal, ela, Glória,
era milionária; e ficar se atirando de qualquer viaduto ou ponte, cortando
os pulsos ou tomando formicida era coisa de suicida pobre...
Ela queria se matar com classe, de forma diferente, em grande estilo.
Mandou aprontar o jatinho da família e só com o aviador se mandou para o céu.
Pretendia se atirar lá de cima. Durante o vôo, enquanto se preparava para o
salto fatal, ela foi indagada pelo aviador a respeito do gesto
extremo que ia executar e, chorando, contou a ele o que ocorria:
-- Papai é viado. Não consigo conviver com essa vergonha e vou me matar.
Vislumbrando uma possibilidade, já que ele sempre havia cobiçado aquela
mulher, o aviador sugeriu que dessem uma antes de ela se matar.
Glória concordou, afinal, para quem ia morrer, não custava nada quebrar o
galho do aviador que se declarara tão apaixonado por ela..
E assim foi.
Piloto automático no avião e... pimba, mais pimba.....
Glória gostou tanto que desistiu de se matar.
*Qual é a moral da história? *
GLÓRIA DEU NAS ALTURAS
E O PAI, NA TERRA, AOS HOMENS DE BOA VONTADE

segunda-feira, setembro 06, 2010

.

a 6 de SETEMBRO nasceu ROGER WATERS

.
Roger Waters


George Roger Waters (Great Bookham, Surrey, 6 de Setembro de 1943) é um músico e compositor britânico de rock, mais conhecido por ter sido o compositor, vocalista, baixista e um dos fundadores do Pink Floyd.

Waters apresentando-se com o Pink Floyd na Universidade de Leeds em 1970.Após outro dos fundadores, Syd Barrett, ter abandonado o grupo devido a doença mental e a abuso de drogas, no fim dos anos 60, Waters definiu a direcção artística da banda, levando os Pink Floyd para o centro das atenções, produzindo uma série de álbuns que continuam entre os mais aclamados pela crítica e dos mais vendidos de todos os tempos.


NOS PINK FLOYD 1972

A relação de Waters com David Gilmour foi-se tornando tensa nos finais dos anos 70, à medida que Waters ia exercendo cada vez mais o controle criativo sobre o grupo. A última colaboração Waters/Gilmour, The Final Cut de 1983 foi creditada como sendo um trabalho de Waters, com música tocada pelos Pink Floyd. Waters deixou a banda e o desacordo sobre a intenção de Gilmour continuar a usar o nome dos Pink Floyd levou-os à barra do tribunal. Waters argumentava que tendo a banda sido criada por ele, Syd Barrett, Nick Mason, e Richard Wright, não havia razão para o grupo continuar a se chamar Pink Floyd, devido ao facto de contar apenas com um dos elementos originais, (Wright havia deixado a banda antes da gravação de The Final Cut). Outro dos argumentos de Waters era o facto de ser o autor da maior parte das letras das músicas dos Pink Floyd desde o abandono de Syd Barrett. Mesmo assim, Gilmour ganhou o direito de usar o nome dos Pink Floyd e a maioria das suas músicas, ficando Waters apenas com os direitos do álbum The Wall e de todas as suas músicas.

Roger Waters foi considerado o 22º melhor baixista do Milênio, numa lista divulgada pela revista Guitar, há poucos anos.

[editar] Carreira Pós-Pink Floyd
Após sair do Pink Floyd, Waters embarcou numa carreira a solo, editando três álbuns e a trilha sonora de um filme. Em 1984 lançou THE PROS AND CONS OF HITCH HICKING que já estava sendo preparado desde 1978, em 1987 lançou RADIO KAOS e por último o álbum Amused to death de 1992. Waters passou a maior parte dos anos 90 a compor uma ópera chamada Ça Ira cujo lançamento ocorreu em 27 de setembro de 2005.

Após a destruição do Muro de Berlim em 1989, Waters produziu em 21 de Julho de 1990 em Berlim um grande concerto de “The Wall” com fins de solidariedade e para comemorar o fim da divisão entre a Alemanha Oriental e a Alemanha Ocidental. O concerto teve lugar na Potsdamer Platz um local que fazia parte da terra de ninguém do Muro de Berlim, foi considerado o maior concerto de sempre e teve como artista convidados Bryan Adams, The Scorpions e Van Morrison entre outros.

Depois de um longo hiato, Waters voltou à estrada outra vez em 1999, tocando as suas músicas mais conhecidas do tempo do Pink Floyd juntamente com material da sua carreira a solo e uma música nova chamada Each Small Candle, tendo conseguido grande audiência. Um dos shows da tour de 2000 foi gravado no DVD IN THE FLESH filmado em Portland, Oregon, EUA. Em 2002 a tour continuou e passou pelo Brasil com quatro datas no Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo. Neste ano Roger apresentou mais uma nova composição chamada Flickering Flame. Roger Waters só voltou aos palcos em 2007/2008 com uma grande tour mundial que recebeu o nome de THE DARK SIDE OF THE MOON passando pelo Brasil com duas datas em março de 2007 no Rio de Janeiro e São Paulo.

Em The Dark Side of The Moon, Roger Waters apresentou ao público canções suas e do Pink Floyd. O show era dividido em três momentos distintos:

Primeira parte

1.In the Flesh
2.Mother
3.Set the Controls for the Heart of the Sun
4.Shine On You Crazy Diamond (Partes II - V)
5.Have a Cigar
6.Wish You Were Here
7.Southampton Dock
8.The Fletcher Memorial Home
9.Amused to Death
10.Leaving Beirut
11.Sheep
Segunda Parte (The Dark Side of the Moon)

1.Speak to Me
2.Breathe
3.On the Run
4.Time
5.Breathe (Reprise)
6.The Great Gig in the Sky
7.Money
8.Us and Them
9.Any Colour You Like
10.Brain Damage
11.Eclipse
Bis

CELINA PIEDADE

.


CELINA PIEDADE tocando à janela do FRAGIL.



A CELINA estará em Castro Verde a actuar no FESTIVAL SETE SÓIS,SETE LUAS, que reune na Vila alentejana onde a TRANCA tem vindo a ser editada, artistas plásticos, cantores,músicos,dançarinas e muitos jovens e menos jovens de todo o Mediterâneo, nos dias 10 a 12 deste mês, já esta semana.

A TRANCA recomenda vivamente que venham até cá.

Celina da Piedade é acordeonista, cantadeira, compositora, investigadora, professora, filha,e amiga profissional. Estudou no Conservatório de Setúbal, onde também deu aulas de acordeão. Licenciou-se em Património Cultural pela Universidade de Évora. Em 1998 conhece a Associação PédeXumbo com quem colabora desde então. Começa a dedicar-se aos repertórios para dança de toda a Europa, tornando-se acompanhadora em aulas e workshops, e sobretudo tocadora em bailes. A par disso participa nas mais variadas experiências sonoras - desde o Jazz mais experimental à música de intervenção - que lhe aguça a necessidade de se mover livremente entre várias linguagens musicais, e de as vivenciar a todas sem preconceitos.
No ano de 2000 é mãe de dois projectos musicais: UXU KALHUS (com quem fica até 2009), e MODAS À MARGEM DO TEMPO (colaboração até 2004). Desde esse mesmo ano que integra o CINEMA ENSEMBLE de RODRIGO LEÃO. Esta parceria abre-lhe a um ritmo muito natural novas portas colaborando, como acordeonista, voz e como compositora, com artistas e projectos como MAYRA ANDRADE, NÉ LADEIRAS, UXIA SENLLE, LUDOVICO EINAUDI, GAITEIROS DE LISBOA, ANTÓNIO CHAINHO, DAZKARIEH, VIVIANE, PROJECTO FUGA, PEDRO MESTRE, MONTE LUNAI, ATTAMBUR, DONA ROSA, DONNA MARIA, SAMUEL ÚRIA, JOÃO CORAÇÃO, entre tantos outros, para além da participação em bandas sonoras para cinema, teatro e dança. Continua a apresentar-se a solo, com as suas vivências musicais, em forma de concerto e de baile de danças tradicionais.

preliminares

.
Um velho de oitenta e dois anos foi acusado de violação...
No tribunal, a advogada de defesa segura-lhe no decrépito pirilau e pergunta ao juiz:
- O Sr. Dr. Juiz acha que este “pirilau desfalecido” podia violar alguém?
O velho murmura para a advogada:
- Não a abane muito,doutora, senão perdemos o caso…!

domingo, setembro 05, 2010

gente nossa - ,melo,guilhermina,canelas e raposo



Na Cimeira de Palmela

FAT FREDDY´S DROP

.


Os neozelandeses Fat Freddy's Drop estiveram em Portugal num concerto no Coliseu de Lisboa

a 5 de SETEMBRO nasceu TOMMASO DE CAMPANELLA

.
Tommaso Campanella



Tomaso Giovanni Domenico Campanella (Stignano, 5 de Setembro de 1568 — Paris, 21 de Maio de 1639) foi um filósofo renascentista italiano, poeta e teólogo dominicano.

Ainda jovem ingressou na Ordem dos Pregadores, dedicando-se aos estudos de filosofia. Em 1599 foi preso por ordem do governo espanhol sob acusação de heresia e conspiração. Embora jamais tivesse confessado nenhuma das acusações, esteve preso na prisão de Nápoles durante 27 anos. Posto em liberdade no ano de 1626, foi novamente preso e levado diante do Santo Ofício em Roma, onde enfrentou julgamento por certas proposições em seu trabalho que eram consideradas suspeitas. Recuperando a liberdade, esteve algum tempo no mosteiro dominicano de Minerva, em Roma. Em 1634, temendo perseguições por suspeitas de que poderia estar envolvido em nova conspiração, seguiu o conselho do papa Urbano VIII e fugiu para a França, onde foi recebido por Luís XIII e pelo Cardeal Richelieu.

Campanella deixou uma obra vasta que abrange vários tópicos: gramática, retórica, filosofia, teologia, política, medicina etc. Segundo Campanella, as ciências tratam das coisas como elas são, cabendo à filosofia (e especialmente à metafísica) explicar as coisas em seu sentido mais profundo.

Entre suas obras destacam-se:

Philosophia sensibulus demonstrata (Nápoles, 1591);
Del senso delle cose e della magia (Bari, 1620);
Apologia pro Galileo, mathematico Florentino (Frankfurt, 1622);[1]
Atheismus triumphatus (Paris, 1631)
Monarchia messiae (Jesi, 1633);
Disputationum in quator partes suae philosophia reales libri quator (Paris, 1637);
Epilogo magno;
Theologicorum libri XXX;
Civitas solis - A Cidade do Sol, sua obra obra mais conhecida no Brasil e também em Portugal.

sábado, setembro 04, 2010

preliminares

.

Um cara meio fracote e
raquítico,pega o elevador.
Junto com ele entra um
negão imenso.
O cara fica meio assustado com o tamanho do negão
e olha de cima a baixo.
O negão percebe e
fala:
Tenho dois metros de
altura,180 Kg,30 cm de pinto,o saco pesa
três quilos: Felipe Costa,seu criado!
O cara fracote e raquítico,cai duro e desmaia!
O negão,então dá uns
tapas na cara do coitado.

Ele acorda e o negão
lhe pergunta:
_ O que houve,cara,
por que você desmaiou?
o cara ainda meio desacordado responde:
Desculpe, o que foi mesmo
que você disse?
Eu disse: Tenho
dois metros de
altura,180kg,
30cm de pinto,
o saco pesa três quilos.
Felipe Costa,seu criado.
Ah! Graças a Deus.
Eu tinha entendido:
_ Fique de costa, seu
viado!

quarta-feira, setembro 01, 2010

DAVID BOWIE E OS ARCADE FIRE

.

OS FURA DELS BAUS em LAGOS

.
A TRANCA ESTEVE EM LAGOS E
ASSISTIU AO ESPECTÁCULO
DOS FURA DELS BAUS
E MOSTRA AQUI ALGUMAS IMA-
GENS QUE CAPTOU



Nunca tinha visto Lagos com tanta gente . Quando se aproximou a hora do espectáculo tornou-se dififil circular em qualquer rua da cidade.


"GNOSIS" é o nome do espectáculo exclusivo que o grupo da Catalunha (Espanha) LA FURA DELS BAUS trouxe a Lagos . Aquela que é considerada uma das maiores companhias de teatro experimental do mundo, apresentou uma performance baseada no papel dos portugueses no período das descobertas, no saber e no conhecimento que estes trouxeram ao mundo e centrada na figura do Infante D. Henrique.



O espectáculo teve lugar na Praça do Infante,



Foi talvez o maior espectáculo de animação de rua jamais realizado em Lagos e

integrou uma produção gigantesca, baseada em grandes elementos e com apontamentos de grande espectacularidade como, por exemplo, uma roda gigante com 8 metros de diâmetro e um sistema de som com mais de 60 mil watts.




LA FURA DELS BAUS, já com um público estimado de cerca de 3 milhões de espectadores, apresentou este um macro evento, ao ar livre, com um elenco de cerca de 100 pessoas que compõem a equipa responsável por este espectáculo, onde couberam 65 portugueses voluntários e sem experiência teatral recrutados na região do Algarve.



Os LA FURA DELS BAUS são um grupo de teatro catalão que se notabilizou pelos seus espectáculos polémicos e visualmente poderosos. Fundado em 1979, o grupo começou por fazer espectáculos de rua, adquirindo visibilidade com a peça Lenguaje Furero (1983), inserida num ciclo mais amplo de espectáculos apelidado de Accions. Com estes espectáculos, imprimiram um novo conceito teatral alicerçado na utilização de numerosos recursos cénicos como música, dança, pirotecnia, uso de materiais naturais e interacção com o espectador, criando uma simbiose entre actor e autor, fundindo-se numa mesma criação colectiva.



Se me perguntarem se este foi o melhor espectáculo dos Fura, direi que não.
Do ponto de vista estético , sim foi um espectáculo impressionante, mas o mesmo não direi da estrutura do texto e do trabalho de actores, itens onde o grupo catalão já tem muito melhores performances.